Pilates para pacientes com parkinson

Pilates e Parkinson: uma nova vida!

Pacientes com Parkinson podem fazer Pilates? Sim!!! O Pilates é considerado um dos exercícios mais completos que existem, e trabalha a musculatura do corpo inteiro, promovendo força e desenvolvimento muscular equilibrado, flexibilidade, aumento da amplitude de movimento para as articulações, melhora na respiração e na saúde mental.

Para os pacientes de Parkinson, o Pilates pode ser adaptados às necessidades individuais, contribuindo para a melhora como um todo.

O Parkinson

O Mal Parkinson é uma doença neurodegenerativa crônica e progressiva que atinge o sistema nervoso central. “Ainda não se sabe os motivos para o diagnóstico da doença, mas acredita-se que fatores genéticos e ambientais podem contribuir para o aparecimento. Não existe cura para o Parkinson, mas é possível conter os avanços da doença, e o Pilates contribui muito para isso”, destaca Guilherme Tolosa, fisioterapeuta do Espaço Integra.

O Parkinson acomete principalmente pessoas acima dos 60 anos, porém, a doença atinge também os mais jovens. Estudos mostram que indivíduos com 40 anos ou menos podem ser acometidos pela síndrome – cerca de 10% dos pacientes com a doença têm menos de 50 anos e 2% menos de 40 anos.

Com o aumento da expectativa de vida, estima-se que nos próximos anos mais de 40 milhões de pessoas no mundo todo recebam o diagnóstico de Parkinson.

O Método Pilates

Além dos cuidados médicos e medicamentosos, o Pilates é um importante método para os parkinsonianos.

Muitos pacientes podem apresentar sintomas além daqueles que afetam os movimentos ou a mobilidade, como ansiedade, depressão, distúrbios do sono e dor. “A depressão atinge cerca de 50% dos pacientes de Parkinson como consequência das limitações que o acometem. O Pilates trabalha a força muscular, o equilíbrio, a motricidade e a saúde psicológica”, afirma Guilherme.

O programa de exercícios físicos integra corpo e mente e proporciona inúmeros benefícios, como:

  • Controle postural;
  • Força;
  • Alongamento;
  • Flexibilidade;
  • Equilíbrio muscular;
  • Consciência e percepção dos movimentos corporais;
  • Condicionamento físico;
  • Melhora na respiração,

Com a prática de Pilates em aparelhos e no solo, o paciente conquista independência em suas atividades diárias, alonga e tonifica os músculos, combate lesões e melhora problemas posturais ligados ao desequilíbrio muscular.

 

Para conhecer os benefícios do Pilates para pacientes com Parkinson, ligue (11) 97998-3663.

  •  O Espaço Integra fica na rua Martim Soares, 80, próximo ao metrô Tatuapé.

Leia também!
Dermoneuromodulação para tratamento de dor

 

Acompanhe minhas redes sociais!
Facebook
Instagram

Comentários
Dr. Guilherme Tolosa

Posted by Dr. Guilherme Tolosa